Moradia e Cidadania/MA realiza entrega de certificados para participantes do Projeto Unidos pela Fibra PDF  | Imprimir |  E-mail

    A Moradia e Cidadania/MA juntamente com o Instituto Cooperforte, e Associação de Artesãos Unidos pela Fibra realizou no dia 25 de fevereiro de 2013, das 08h às 17h, no Teatro Itapicuraíba em São Luis/MA, o encerramento das atividades do Projeto Unidos pela Fibra, que teve como objetivo capacitar um grupo de artesãos para desenvolver toda a cadeia produtiva de produtos com fibras de buriti.

    Participaram representando o Instituto, o Sr. Camilo Gomes da Rocha e a Sra. Maria Maciel Bruzaca gestora do Projeto Unidos pela Fibra. Durante a entrega dos certificados para as integrantes do projeto, Camilo Gomes falou sobre o incentivo que o Instituto Cooperforte vem dando ao longo desse tempo que tem apoiado o projeto de geração de renda dessas mulheres desde 2009 e espera que após o enceramento do projeto, as mesmas continuem com esse trabalho que tem dados bons resultados para o grupo. A Sra. Maciel Bruzaca relata que um dos objetivos do projeto é formar um grupo que assuma o artesanato de fibra de buriti e possa se organizar no sentido de receber demandas maiores de encomendas, visto que hoje o grupo já possui a Associação de Artesãos legalizada.

    Na oportunidade ocorreu a realização da Feira de Artesanato com exposição dos produtos confeccionados pelos integrantes do projeto, palestra sobre Economia Solidária e atividade cultural. Participaram do evento organizações da área Itaquí Bacanga, grupos de artesãos e comunidade em geral.

    A aluna Lauricéia retrata que houve algumas dificuldades por conta que a maioria das participantes do grupo são mães de família e tem outras responsabilidades além, de serem donas de casa, lutam para almejar sua independência como mulheres que vem rompendo com preconceitos impostos pela sociedade. “O melhor desse projeto foi a constituição do grupo, ter seus produtos conhecidos hoje nacionalmente, melhoramento da condição de vida da maioria das mulheres, pois hoje algumas já possuem até seu negócio próprio como loja de artesanato e tudo isso foi propiciado pela Moradia e Cidadania, instituto Cooperforte e outros parceiros como o SEBRAE - Coordenadoria estadual de Economia solidária entre outros”.

    A atual presidente da Associação de Artesãos Unidos pela Fibra, Isabel Silva, destaca que antes era apenas uma participante do projeto como as outras e nunca nem pensou em se tornar presidente da associação ou outro espaço. Diz ainda que este é um grande desafio, mas contudo que aprendeu durante as oficinas sociais realizadas pelo projeto como questões de gênero, formação política, cidadania e todas as informações sobre Economia Solidária “acredito que será possível avançar juntamente com o grupo para aumentar cada vez mais a renda dessas mulheres, desenvolver outras ações na comunidade da Vila Ariri”, finaliza.


Última atualização em Sex, 01 de Março de 2013 13:33